segunda-feira, julho 26, 2021

Secretaria de Saúde e FACIMED realizou palestras e oficinas alusiva ao setembro AMARELO

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest

Secretaria de saúde de Espigão do Oeste em parceria com a FACIMED realizou palestra em todas as escolas do município em menção ao setembro AMARELO o objetivo é trabalhar tema, sobretudo, com pessoas em situação de vulnerabilidade.

Nesta última semana uma parceria firmada entre a secretária de saúde de Espigão do Oeste, e FACIMED, com alunos do curso de Psicologia sob o comando da Professora Leila Gracieli, em numa determinação do secretário de saúde Waltinho Lara, aconteceu em todas as escolas do nosso município, “Estaduais Municipais e Particulares” Palestra voltada a conscientização contra o suicídio uma programação anual do setembro Amarelo. Neste mês, um dos principais lemas da campanha é “Combater o estigma é salvar vidas”. Para isso, diversas intervenções ocorrem no país para aumentar a conscientização e a prevenção sobre o tema: caminhadas temáticas, palestras com especialistas, distribuição de balões amarelos, entrega de folhetos e atendimento à população em locais públicos foram algumas das ações planejadas.

As equipes de aluno da FACIMED estiveram durante todo o dia onde foram divididos em equipes e conseguiram atender todo cronograma. Falar sobre suicídio de maneira produtiva é fundamental para que aqueles que possuem ideação suicida – ou seja, quem está pensando em se matar – e para que as pessoas que estão próximas e não sabem como ajudar possam se informar sobre o assunto e não se sintam sozinhas. O tema já é delicado e ainda é alvo de diversos tabus. Quando não é debatido, acaba por ficar imerso em preconceitos, na falta de informação e traz dificuldades na identificação dos sinais de alerta, o que diminui a busca por ajuda e a aumenta o estigma para aqueles que sofrem, os alunos foram alertados e orientados aos principais sintomas desta doença avassaladora que ataca nossa gente de forma cruel, esta atendo e o amor o cuidado ainda e o melhor remédio.

blankMesmo que a escola invista em ações pontuais sobre a prevenção de suicídio ao longo de setembro, é importante que o trabalho seja contínuo. Afinal, as questões existenciais que podem levar alguém a cometer suicídio não costumam surgir repentinamente. Um bom exemplo de ação contínua é promover a cada bimestre rodas de conversa e debates sobre temas diversos relacionados às emoções. Essas atividades dão abertura ao diálogo e possibilitam maiores chances de observação sobre como os alunos estão. Além disso, alunos e funcionários devem saber a quem recorrer quando precisarem tratar de um tema difícil e a escola não deve ter medo de abordar questões como suicídio, depressão, ansiedade – claro que com toda a sensibilidade e cuidado que a temática requer. Caso não haja alguém capacitado na escola para direcionar esses projetos e conduzir essas conversas, é importante buscar parcerias com psicólogos e psiquiatras, o CRAS de sua cidade e outras fontes confiáveis para planejar cada ação.

blankDe acordo com a Psicóloga e professora Leila Gracieli, os sinais podem ser percebidos por familiares, colegas de trabalho e amigos. “As pessoas vão sinalizando, comentam, não só se comportam, se isolam mais, mas também verbalizam de ‘não querer mais viver’, ‘a vida está ruim’. Então, algumas coisas são indicativos e sinalizam. O comportamento das pessoas muda”, alertou a coordenadora.

Confira nossa reportagem:

Fonte: Evisson Borges/DECOM

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui